20/06/12

Fé, Turismo e Património: um inevitável diálogo intercultural

É essencial recuperar uma valência de fruição integrada e interpretação legível Conscientes da crescente importância do património religioso, como um dos recursos turísticos mais relevantes em todo o mundo, importantes sinais têm sido dados pela Igreja em Portugal, que reforça agora a sua intervenção nesta área, com a revitalização da Obra Nacional da Pastoral do Turismo. Assente num vastíssimo universo de atuação, de expressiva preponderância devocional e patrimonial, importa, pois, saber valorizar e promover tão precioso legado, à luz de um efetivo serviço pastoral e contributo atuante da própria missão da Igreja, muito além da sua simples fruição cultural. Sem descurar o rigor de uma análise fundamentada, a cargo de especialistas e dirigida à compreensão profunda das obras, é essencial recuperar uma valência de fruição integrada e interpretação legível. Enfim, promover cada manifestação, concebida como instrumento de Fé e memória viva das comunidades, na sua autenticidade e significado original. Evidenciando a experiência do sagrado, a inspiração e a mensagem intrínseca em cada expressão ou vivência religiosa, em cada monumento ou obra de arte, há pois que potenciar recursos, saber partilhá-los e oferecê-los a todos como momentos únicos e espiritualmente mais profundos, muito além da simples dimensão formal da obra de arte, como mero instrumento de apreciação estética. Creio ser este, sem dúvida, um dos contributos mais aguardados. Sandra Costa Saldanha

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial